Alexander Lecaros admite inferioridade física no Botafogo: ‘Eu me via fraco’

Loja Casual FC
Alexander Lecaros Botafogo
Foto: Vítor Silva / Botafogo

Apresentado no início da temporada, o peruano Alexander Lecaros ainda não estreou pelo Botafogo. A única partida do meia foi no amistoso contra o Vitória/ES, em janeiro. Segundo o meia, seu biotipo físico e até mesmo o calor explicam a dificuldade enfrentada no Clube.

Cheguei aqui e vi todos muito fortes, com muita massa muscular, e eu me via fraco, magrinho. O calor também me prejudicou, porque nunca havia treinado com tanto calor, aqui é muito quente – disse em entrevista ao canal peruano “DirecTV”.

Alexander Lecaros Botafogo
Alexander Lecaros e Joel Carli durante treino do Botafogo. Foto: Vítor Silva / Botafogo

Paulo Autuori, técnico do Botafogo, acredita que a adaptação do peruano, sobretudo em meio à pandemia do novo coronavírus, é a principal dificuldade do atleta.

— É um jogador novo, com qualidades técnicas. É ousado. Tem como característica o drible, o mano a mano. É um jovem e, como tal, devemos entender. Ele, assim como Cortez, tem estão vivendo dificuldades por estarem num momento como esse, longe de suas famílias. O Botafogo tem feito um trabalho muito bonito de assistência social com estes jogadores. Eles têm potencial. O Botafogo escolheu trazer esse jogador, então tem que dar o espaço e o apoio para que passo a passo possa corresponder às expectativas – disse em entrevista à Botafogo TV.

Conheça a melhor linha retrô do Botafogo e ganhe 10% OFF com cupom FOGONAREDE

Para se aproximar do nível físico dos demais atletas do plantel, Lecaros, desde que chegou ao Botafogo, foi submetido a um trabalho especial para ganho de massa muscular. A atenção do Clube fez o atleta recuperar a confiança, a ponto de sonhar com titularidade e seleção.

— Sabia que minha hora iria chegar, mas veio a pandemia. Agora é recuperar tudo que perdemos nessa quarentena, depois tratar de ganhar a titularidade, é tudo o que quero agora, para chegar mais longe e depois conseguir chegar à seleção. Que jogador não quer servir à seleção? É uma das minhas metas também, é um sonho – garante.

Leia mais: Montenegro explica negociação de Bochecha, do Botafogo, com Juventude

Barreiras pessoais

Em quarentena sozinho, o peruano de 20 anos encontrou outro obstáculo no Brasil: a cozinha.

— Vinha conversando com meus pais sobre esse tema (comida), nunca passou pela minha cabeça que aconteceria algo assim. Mas estou levando bem, nos primeiros dias olhava para cozinha e pensava: “O que que eu faço?” Depois, comecei a ligar pra minha mãe, e ela foi ajudando – disse.

Siga-nos no Twitter | Siga-nos no Instagram | Siga-nos no Facebook

Foto: Vítor Silva / Botafogo

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.