Barroca atribui derrota do Botafogo para o Bahia à expulsão: ‘Situação atípica’

Loja Casual FC
Barroca Botafogo Bahia
Lucas Campos. Bahia x Botafogo pelo Campeonato Brasileiro no Estadio Arena Fonte Nova. 14 de Setembro de 2019, Salvador, BA, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo.rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. r
Barroca Botafogo Bahia
Barroca começou a partida com Lucas Campos contra Bahia Foto: Vitor Silva/Botafogo

Desde a escalação, Barroca deixou claro que a estratégia do Botafogo seria atacar o Bahia, mesmo fora de casa. Com Diego Souza mais recuado, Victor Rangel de referência e Lucas Campos na ponta, a equipe começou criando boas oportunidades e igualando o jogo.

No entanto, o gol de Arthur aos 23 minutos do primeiro tempo e a absurda expulsão de Gilson aos 33, decretaram o resultado. A partir dali, o Bahia dominou as ações e venceu o Botafogo com tranquilidade por 2 a 0.

Após a partida, o técnico Eduardo Barroca concedeu entrevista coletiva.

Formação inicial

— A ideia era ter três jogadores com maior velocidade na frente e um meio campo com uma experiência boa. Sabíamos que seria um jogo difícil aqui. Até o momento da expulsão, o Botafogo estava fazendo boa partida, controlando as ações, segurando o ímpeto do Bahia. Depois da expulsão o jogo fica outro. Situação atípica.

O jogo

— Até a expulsão a gente estava fazendo o combinado, tentando ter a bola no nosso pé. Tivemos uma chance clara, uma falta com Cícero. Algumas faltas laterais. Estávamos fazendo um jogo bom. Sofremos um gol por mérito do Bahia. Mas depois da expulsão o jogo ficou difícil. Tentamos levar o 1 a 0 o máximo que pudesse para tentar algo no final, mas o Bahia é muito qualificado. Tem bom treinador, bom investimento, elenco equilibrado. Hoje o Botafogo fazia boa partida até a expulsão. Vi a imagem agora e fiquei com dúvida se o Gilson encostou no Elber ou não.

Como passar tranquilidade aos jogadores?

— A gente precisa ter ciência do momento que a gente está passando enquanto instituição. E desportivamente os jogadores vão ter sempre de mim uma figura que vai protegê-los diante da dedicação que eles têm tido. Hoje eles estavam fazendo uma partida igual. E um lance isolado desigualou a partida. A gente precisa passar por esse momento de instabilidade, trabalhar firme, tentar buscar uma vitória sobre o Fortaleza. Hoje terminei o jogo com quatro ou cinco jogadores da base em campo. São esses jogadores que tenho para trabalhar na competição e buscar coisas grandes. Não vou transferir responsabilidade.

Lucas Barros titular contra o Fortaleza?

— O Lucas é o único lateral-esquerdo que a gente tem fora o Gilson. Provavelmente ele que vai jogar contra o Fortaleza.

Relação com o Bahia

— Devo muito ao Bahia, porque eles me ajudaram a me formar como profissional. Sempre especial para mim qualquer coisa relacionado ao Bahia. Tenho muito respeito e o torcedor também. O Bahia está muito forte, tem um grande treinador. Tem uma equipe de trabalho muito boa, com grandes jogadores. Fico feliz de ver uma equipe que tenho um carinho neste processo de crescimento.

O próximo compromisso do Botafogo será o Fortaleza, na próxima segunda (30), às 20h, no Castelão.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.