Barroca quer Botafogo corajoso contra o Corinthians: “Quem vai para empatar, perde”

Loja Casual FC
Barroca Botafogo Corinthians
Barroca.Treino do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 14 de Agosto de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. Imagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Barroca Botafogo Corinthians
Foto: Vitor Silva/Botafogo.

De olho na terceira vitória seguida, o Botafogo enfrenta o Corinthians, neste sábado (17), às 17h, na Arena Corinthians. No que depender de Barroca, o objetivo tem que ser buscado independentemente de ser fora de casa.

Em coletiva antes do treino desta sexta (16), Barroca pediu coragem à equipe para superar o Corinthians e subir mais um degrau na tabela do Brasileiro.

Confira a íntegra da coletiva de Barroca.

ALEX SANTANA COBRANDO FALTA
— A pergunta é pertinente. A falta é uma bola parada, com uma barreira na frente, com um posicionamento do goleiro diferente. O Alex vai muito bem com a bola rolando, com enquadramento no gol sem oposição na frente. Ele não tem hábito de treinamento. Por isso ele não cobra nos jogos. A principal característica dele é com bola rolando, sem uma oposição na frente.

ESCALAÇÃO
— Não tenho o hábito de esconder, mas vou aproveitar ainda o treino de hoje, para ver a competição entre eles e elucidar as dúvidas.

MUDANÇA NA BOLA PARADA
— Bola parada faz muita diferença no equilíbrio do campeonato brasileiro. O Botafogo tem batedores muito bons – João Paulo, Marcinho e Gilson. A gente foi discutindo as formas, batida mais aberta, mais fechada, mais curta. Fomos discutindo. Na verdade eu não acredito muito em imposição. O Jogo é uma referência para treinarmos. Propus algumas situações, em momentos específicos do jogo. Eles estão realizando e temos sido bem sucedidos nos jogos. Mérito deles. Precisamos continuar desenvolvendo, vou treinar isso hoje também.

CONFIANÇA
— O torcedor do Botafogo tem que confiar na vitória pelos jogadores que têm. São comprometidos, dedicados. Mesmo nos momentos de dificuldade lutam muito, se entregam na sua plenitude. Os últimos anos do Botafogo se caractereizam muito por esse tipo de comportamento. A possibilidade da terceira vitória dá confiança muito grande. Estamos trabalhando nesse segundo ciclo com uma meta muito clara: igualar a pontuação do primeiro ciclo. Precisamos de mais oito pontos. É uma meta audaciosa. Precisamos trabalhar na nossa plenitude. Estamos um pouco descaracterizados para esse jogo contra o Corinthians, sem Carli, Alex Santana, Alan Santos, Jean. É um jogo um pouco especial neste sentido. Mas tenho confiança nos atletas. Não sou de lamentar.

AUSÊNCIA DE CARLI
— Não lamento a ausência dele. Valorizo os jogadores que vão jogar. Jogar contra o Corinthians sempre é muito difícil, eles são sempre fortes no seu estádio. Me parece que são 11 jogos sem perder lá. Precisamos beirar a perfeição. É uma equipe que tem grande treinador, talentos individuais, ótimas opções. Mas vai enfrentar um Botafogo que vive bom momento, dispostos a brigar por coisa grande na competição. Vamos enfrentar um jogo difícil confiante de que podemos sair de lá com o objetivo alcançado.

AUSÊNCIA DO JOÃO PAULO
— Se não me engano, o João Paulo só não atuou em um jogo só sob meu comando. Importante, está habituado a jogar comigo, tem experiência, sabe tudo que eu quero dele. O substituto precisa estar à altura dele.

BOTAFOGO COMO SURPRESA NO CAMPEONATO
— Estou vivendo momento a momento. Precisamos igualar a pontuação de primeiro ciclo neste segundo ciclo. Sinceramente, continuo entendendo que todos os jogos são equilibrados. Acabamos de fazer um jogo equilibrado contra o Athletico. Vamos enfrentar uma equipe que está à nossa frente novamente. Vamos trabalhar na plenitude, fechar bem a preparação hoje e tentar vencer o Corinthians.

CAMPEÃO BRASILEIRO SUB-20 NA ARENA CORINTHIANS
— Foi muito importante ter tido aquela experiência com os jogadores lá na Arena. A principal conquista da base é vê-los no profissional do clube. Fica na memória. Hoje é uma outra situação, outro nível de exigência. Vamos precisar trabalhar na plenitude para competir com o Corinthians. Mas temos confiança de que vamos fazer um grande jogo.

REENCONTRO COM PROFISSIONAIS DO CORINTHIANS
— Sou muito grato ao clube pela forma com que fui tratado. Trabalhei lá duas vezes – 2010 e o ano passado. Tenho muito respeito pelo Corinthians. A última passagem foi muito importante para minha vida profissional. Tenho respeito pelo presidente Andres Sanches, pelo Carille que é uma amigo do futebol, que admiro, respeito, me espelho na forma como pavimentou o caminho para chegar onde chegou. Toda vez que temos essas oprotunidades é muito legal, porque a vida te permite sentir essas emoções, graças ao Botafogo. Preciso retribuir ao Botafogo com a vitória.

ESTRATÉGIA PARA VENCER O CORINTHIANS
— É uma equipe muito bem organizada. Muito claro a ideia que o Fábio tem da equipe. O Corinthians é muito bem enraizado nesta cultura coletiva. Já vamos para lá sabendo que vai ser um jogo muito difícil. Você vai ver as individualidades do Corinthians. Fagner acabou de ser convocado, Cássio, Vagner Love, Sornoza, Pedrinho. Um time de peso. Um clube importante, mas o Botafogo está fazendo seu trabalho com o pé no chão, apostando na qualidade. Quem vai para lá pensando em empatar, perde. Precisamos ir com coragem, personalidade e ganhar mais uma posição na tabela.

PEDIDOS A DIEGO SOUZA
— A porrada estanca todo dias. Não é com ele não, é com outros também. Diego é vencedor. A vida esportiva dele, os títulos, o peso que ele tem, é um cara acostumado a vencer. Ele quer discutir todos os dias pequenos pontos. Adoro isso, quando o jogador vem a mim debater. Se ele me convencer a ceder. Estou sempre interessado em convencê-lo deste contexto. Este tipo de conversa me agrada muito como treinador. Tenho bastante, em pré-treino, concentrações. Os mais jovens foram educados assim por mim, de serem questionadores, de terem liberdade de colocarem o que estão sentindo. Não tenho barreiras. Minha missão é fazer com que eles acreditem. Isso aconteceu no campo, mas acontece quase que diariamente. Me agrada porque mostra que jogador está envolvido. Quando o jogador coloca a insatisfação, pra mim é um puta indicativo de que ele está envolvido com o trabalho. Diego é um jogador que sai puto quando as coisas não acontecem. Eu gostaria que ele pressionasse 90 minutos, fizesse 3 gols, mas a gente vai discutindo todos os pontos para chegar ao melhor para o Botafogo.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.