Botafogo x Corinthians: Valentim quer maior produção ofensiva

Loja Casual FC
Botafogo Corinthians Valentim
Valentim.Treino do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 10 de Novembro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Botafogo Corinthians Valentim
Valentim quer Botafogo ofensivo contra o Corinthians. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

Os 14 pontos que separam Botafogo e Corinthians na tabela estão longe de ser a única preocupação do técnico Alberto Valentim para a partida de domingo, às 18h, no Nilton Santos.

Com apenas 28 gols marcados em 33 partidas — média de pouco mais de um gol por jogo —, o Glorioso tem um dos piores desempenhos ofensivos entre os 20 clubes do Brasileirão. Já o Corinthians é uma das equipes mais sólidas defensivamente, com apenas 29 gols sofridos — um gol a menos que o virtual campeão Flamengo.

Por isso, em entrevista coletiva nesta sexta (22), Alberto Valentim revelou que usou a semana cheia de trabalho para trabalhar a fase ofensiva do Botafogo e superar a sólida defesa do Corinthians.

— Na prática, aproveitando semana cheia e fazendo uma diferente do anterior. Estamos acrescentando treinamentos e fazendo coisas diferentes para melhorar o nosso jogo ofensivo. Estamos fazendo alguns treinos incluindo algumas coisas para que nós consigamos fazer um número maior de finalizações, um número maior nesse último terço. Corinthians se defende bem e é preciso criar para furar essa defesa.

Confira a entrevista completa:

Partida contra o Corinthians

— Jogo difícil, se tratando de Brasileiro a gente já sabe que o campeonato é equilibrado, todos os jogos não se encontra vida fácil. Corinthians tem um DNA defensivo muito bom, mesmo com a ausência do Carille. Esses jogos interinamente com o Coelho. Vamos ter que produzir muito mais para vencermos essa partida. Comparando um pouco com o último jogo, temos que fazer um jogo muito consistente, dinâmico e com tranquilidade para furar a defesa do Corinthians, que tem há alguns anos como ponto positivo essa fase defensiva.

— Três pontos contra o Corinthians. Sem desviar foco para nenhuma partida. Impossível pensar no Inter porque teremos outros jogos importantíssimos. Não dá para pensar em mais nada.

— Jogo muito importante mesmo, porque de alguns jogos para cá eu falei de esquecer o campeonato que tinha passado. Temos finais pela frente. É um jogo que, dependendo da rodada, você pode distanciar quatro pontos da zona. Tão diminuindo o número de jogos. Temos que fazer vitória para recuperar pontos que perdemos.

Diego Souza

— Mais uma vez vou falar. Diego é muito importante, assim como todos os outros jogadores. Sozinho, ele não vai nos dar a permanência na Série. E o Botafogo vai precisar muito dele nesses jogos finais. A gente conta com o Diego cada dia melhor. Faço a minha parte de esconder a escalação para vocês, porque talvez dificulte um pouco para o Coelho. Mas vocês ficam sabendo de tudo.

Duelo com Coelho

— Coelho era um jogador que conheço bem, passou rapidamente pela Itália, passou por grandes clubes. Depois que muda de lado, acompanhei o trabalho de perto, o trabalho bom que fez no sub-20 do Corinthians. Até como auxiliar do Palmeiras, vi alguns jogos. Técnico jovem como eu e vem buscando esse espaço. Por isso essa não pressa da contratação do Tiago Nunes e a continuidade do Coelho até o fim do campeonato.

Retrospecto positivo contra o Corinthians no Rio

— São números que não estávamos aqui, é positivo para o clube. Não sei se psicologicamente deixe o jogador mais confiante. Temos que fazer jogo de muita entrega física, atenção tática, personalidade para jogar e muita responsabilidade.

Pontos de atenção para partida

— Fase defensiva a gente sabe que o Corinthians falam muito, time de qualidade, com jogadores rápidos e experientes, principalmente se Love jogar. Jogadores de seleção brasileira. Time difícil de se enfrentar defensivamente. No nosso lado ofensivo, temos que chegar mais vezes. Precisamos ser mais dinâmicos em umas e mais pacientes em outras jogadas. Às vezes confundimos pressa com dinâmica. Temos que achar bem a medida de um jogo com dinâmica, fazendo posse, mas sabendo o momento de verticalizar para furar a defesa.

Conversas com o grupo na semana cheia

— Muita transparência, coisas positivas que fizemos foram citadas. Vimos vídeos, conversamos no treino. Fase defensiva me agradou, mesmo com resultados adversos. Na fase ofensiva, há algumas coisas boas, mas deixamos de fazer algumas coisas. Cobrança normal não só da minha parte, mas também sabemos que precisamos melhorar. Aproveitamos bem essa semana cheia. Temos que fazer essa transferência dos treinos para os jogos.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.