Checamos: Faltou agressividade a Honda e Caio Alexandre, do Botafogo, no clássico?

Loja Casual FC
Honda Caio Alexandre Botafogo Vasco
Foto: Vítor Silva / Botafogo

Na derrota do Botafogo para o Vasco por 3 a 2, neste domingo, 13, pelo Brasileiro, chamou atenção a decisão de Paulo Autuori pelas saídas de Honda e Caio Alexandre, aos 42 do primeiro tempo. Depois da partida, o treinador justificou as alterações alegando que a dupla não rendeu o esperado.

Saíram porque não estavam rendendo o que tinham que render. Não estavam agressivos, estavam cometendo erros de passe. Se vocês olharem a quantidade de passes que nós erramos e a falta de agressividade que tinha… eu decidi fazer isso antes do intervalo. Tampouco fiquei preocupado com o tempo que foi feito. Foi feito porque achei que a equipe precisava. Já foi uma mensagem para o intervalo de jogo, do que nós iríamos falar no intervalo – revelou.

Leia mais: Montenegro detalha Botafogo S/A; Conselho do Clube será convocado

Dada a explicação de Autuori, o Fogo Na Rede checou os números da dupla escolhida para deixar o clássico ainda no primeiro tempo.

Honda

Segundo o site SofaScore, em 42 minutos, o japonês deu 26 toques na bola, fez 18 passes e acertou 14 — aproveitamento de 78%. O meia perdeu a posse por oito oportunidades. Também tentou driblar duas vezes — acertou um.

PUBLICIDADE

Conheça a melhor linha retrô do Botafogo e ganhe 10% OFF com cupom FOGONAREDE

Defensivamente, Honda, que é o líder de desarmes do Botafogo no Brasileiro, não fez nenhum no clássico. Além disso, sofreu dois dribles.

Caio Alexandre

O volante formado no Botafogo tocou 29 vezes na bola, fez 19 passes e acertou 16 — 84% de aproveitamento. Caio Alexandre perdeu a posse por três vezes. Além disso, tentou um drible no clássico e conseguiu.

Leia mais: Destaque da 10ª rodada, Matheus Babi, do Botafogo, entra na Seleção do Brasileirão

No setor defensivo, desarmou uma vez ao longo dos 43 minutos em campo e foi driblado por três vezes e fez dois cortes.

Rentería e Luiz Otávio

Apesar da mudança completa de postura do Botafogo na segunda etapa, a explicação não passa tanto pela entrada de Luiz Otávio e Rentería, segundo os números do SofaScore.

O volante colombiano, que entrou no lugar de Honda, foi superior ao japonês em todos os quesitos. Foram 42 toques na bola — das quais perdeu a posse por 6 vezes —, 88% de aproveitamento nos passes e três desarmes. Rentería foi driblado três vezes – uma a mais que Honda.

Luiz Otávio, no entanto, pouco acrescentou à equipe. Ao longo de 47 minutos em campo, tocou na bola 39 vezes, acertou 94% dos passes (30/32), embora nenhum decisivo e perdeu a posse por 5 vezes. Não fez nenhum desarme na partida e sofreu um drible.

Na próxima quinta, 17, o Botafogo volta a campo para enfrentar novamente o Vasco, às 19h, no Nilton Santos. O jogo é válido pela quarta fase da Copa do Brasil.

Honda Caio Alexandre Botafogo Vasco
Honda e Caio Alexandre, do Botafogo, deixaram o clássico contra o Vasco no 1º tempo. Foto: Vítor Silva / Botafogo

Siga-nos no Twitter | Siga-nos no Instagram | Siga-nos no Facebook

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.