Ministério da Saúde aprova retorno do público aos estádios no Brasileiro

Loja Casual FC
Ministério Saúde retorno público Brasileiro
Foto: Vítor Silva / Botafogo

O Ministério da Saúde aprovou, nesta terça, 22, o estudo enviado pela CBF para retorno de até 30% do público aos estádios no Brasil em jogos do Campeonato Brasileiro, a partir de outubro. A informação é do ‘O Globo’.

De acordo com a reportagem, o ministro da pasta, Eduardo Pazuello avalizou o estudo. Para CBF, a liberação deve ser feita de maneira uniforme em todo país. Por isso, exige que cada município ou estado adote sua política sanitária e protocolo de saúde.

Apesar do aval inclusive do Ministério da Saúde, a Comissão Médica da CBF, segundo apuração do jornal, não foi convidada para tratar do tema.

PUBLICIDADE

Conheça a melhor linha retrô do Botafogo e ganhe 10% OFF com cupom FOGONAREDE

Atual treinador do Botafogo, Paulo Autuori criticou, em entrevista recente, a possibilidade do retorno do público.

— Desde que eu me conheço como profissional do futebol tenho ideia muito clara sobre a importância dos verdadeiros protagonistas: jogadores e torcedores. Lógico que queremos a presença da torcida. Agora, daí a já tomar uma posição de retorno, há uma diferença. Não é justo ter o retorno da torcida mandante apenas, por exemplo. Por que esse açodamento? É preciso analisar de maneira abrangente. Se pararmos para ver o que está acontecendo na Inglaterra, as coisas não estão tão tranquilas quanto se imagina. Não é momento de se apressar tomadas de decisão que são populistas. É preciso transcender a discussão. O que está acontecendo quando abre bares, por exemplo?

Ministério Saúde retorno público Brasileiro
Ministério da Saúde autorizou retorno do público para o Brasileiro. Foto: Vítor Silva / Botafogo

Siga-nos no Twitter | Siga-nos no Instagram | Siga-nos no Facebook

Foto: Vítor Silva / Botafogo

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.