Montenegro reitera posição do Botafogo: ‘A palavra de ordem é distanciamento’

Loja Casual FC
Montenegro Botafogo coronavírus
Foto: Reprodução

Membro do comitê executivo do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro reforçou a posição contrária do Clube em relação ao retorno das atividades presenciais durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista à CNN Brasil nesta terça, 5, o mandatário acredita que o futebol será uma das últimas atividades a retornar à normalidade.

Leia mais: VÍDEO: Marcelo Beneveuto, do Botafogo, curte festa com rapper; veja

— O futebol é das multidões. Infelizmente, acho que vai ser uma das últimas atividades a voltar. Eu entendo. O Botafogo sofre na parte econômica. Maio todos estão dizendo que maio vai ser mais difícil. Alguns jogadores vão para o enterro de um roupeiro, outros vão treinar? Vamos fazer as coisas com calma. Treinando em casa, nada de ter contato. A palavra de ordem no Brasil é distanciamento. E não existe futebol com distanciamento. Não estou otimista com a volta dos treinos em maio. Talvez no início de junho a gente possa pensar nisso.

Nesta segunda, 4, morreu o massagista Jorginho, do Flamengo, vítima do coronavírus. O profissional estava há 40 anos no clube.

Retorno das atividades na Alemanha

Montenegro Botafogo coronavírus
Representante do Botafogo, Montenegro é contrário às atividades durante pandemia de coronavírus. Foto: Reprodução

Conheça a melhor linha retrô do Botafogo e ganhe 10% OFF com cupom FOGONAREDE

Montenegro lembrou que times da Alemanha retornaram às atividades. A atitude, no entanto, causou prejuízos imediatos.

— Nós tivemos o início da volta dos treinos na Alemanha. Com isso, 10 jogadores já se contaminaram. Hoje eu li que a FIFA e Conmebol estão estudando o que fazer em relação a setembro, se vão adiar o início das elimintários da Copa do Mundo em setembro. O nosso ministro da Saúde disse que o mês de maio poderemos chegar a mil mortes por dia. Nós estamos atrasados em relação a Ásia e Europa cerca de 30 dias. Estamos sofrendo o pico da pandemia agora. A vida humana está acima de qualquer coisa. O futebol não é serviço essencial, é uma diversão, um prazer.

Leia mais: Coronavírus: Botafogo comunica demissão de funcionários

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.