Com meta de gols, Pedro Raul é apresentado no Botafogo: ‘Camisa pesa’

Loja Casual FC
Pedro Raul Botafogo
Pedro Raul durante apresentacao no Hotel Fazenda China Park. 18 de Janeiro de 2020, Domingos Martins, ES, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo.rrImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.r Botafogo x Goias no Estadio Nilton Santos. 09 de Outubro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. r
Pedro Raul Botafogo
Pedro Raul é apresentado no Botafogo. Foto: Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo apresentou mais um reforço neste sábado (18), no China Park: Pedro Raul, de 23 anos. O atacante defendeu o Atlético-GO na última temporada, pelo qual marcou 14 gols em 47 jogos.

Antes mesmo de conversar com a imprensa, Pedro Raul deu a dimensão de estar no Botafogo.

— A camisa pesa – revelou o atacante.

Veja outras declarações:

Vantagens da altura

— Para posição, é importante ter uma certa altura. Mas eu não sou um centroavante que fica parado. Gosto de me movimentar. Tenho minhas características, sou um atacante mais móvel do que parado. Então me ajuda pela estatura, mas não me atrapalha na mobilidade.

Carreira

— Com 20 anos, eu tive a oportunidade de ir para Portugal. Fiquei dois anos lá e ano passado pude voltar para o Atlético Goianiense. Foi um ano muito importante. Conseguimos o título estadual e o acesso para Série A. É uma curta carreira, mas tem sido bom. Agora com a camisa do Fogão espero que continue sendo.

Início do Botafogo

— Está sendo muito bom. O grupo me recebeu super bem. Um grupo jovem, mas de muito caráter. Dá para sentir que o grupo está unido e focado em um só objetivo, que é colocar o Botafogo lá em cima.

Metas

— Vou por partes. O primeiro desafio é o Carioca, então é o nosso primiro objetivo.

Conversas com Valentim e primeiro amistoso

— Eu tenho conversado com o Alberto. Tenho tentado entender o modelo do jogo dele, que é um modelo que eu me adapto bem. Quanto ao jogo-treino, a gente tentou se movimentar bastante. O resultado não era o principal objetivo, mas sim testar algumas peças. Quanto ao amistoso, vamos nos preparar para fazer um grande jogo em Cariacica.

Botafogo é o principal momento da carreira?

— Com certeza. Vestir essa camisa é muito importante. Estou tendo a oportunidade de defendê-la aos 23 anos. É uma responsabilidade boa. Todo atleta quer ter.

PUBLICIDADE

Responsabilidade de fazer gols

— O camisa 9 é sempre cobrado por gols. Vou procurar me dedicar sempre nos treinos e nos jogos para quando tiver as oportunidades dar alegria para torcida.

Reta final no Atlético-GO

— A gente estava num momento meio complicado porque tínhamos empatado jogos que não podíamos. O professor Barroca chegou, deu uma levantada no espírito da equipe e me passou bastante confiança. Pude ajudar, graças a Deus.

Conversou com Barroca antes de vir?

— Claro. Ele me ligou, na verdade. Assim que ele ficou sabendo ele me ligou e me passou um feedback positivo do clube. A gente tem uma relação de amizade. Quando ele estava no Atlético-GO, me ajudou bastante. Ele até queria que eu fosse para o Coritiba, mas eu já tinha acertado com o Botafogo. E eu estava ciente da bela escolha que eu tinha feito.

Que tipo de pergunta você fez?

— Perguntei como era o clube, a estrutura, o pessoal lá dentro. Essas típicas perguntas de quem está chegando num lugar novo.

Subsituir o Diego Souza pesa?

— Claro. O Diego Souza é uma referência no futebol nacional. A gente sabe que ano passado o Botafogo não teve um desempenho muito bom no ataque, mas não tem que olhar só para o setor. É preciso olhar para o todo e esse ano a gente está para ir bem desde o início.

Meta de gols

— Eu tenho a minha meta pessoal, que é fazer 10 gols o quanto antes para depois aumentar. Eu vou trabalhar para bater esta meta. Ano passado consegui, este ano espero repetir.

Relação com jogadores experientes do elenco

— O Joel Carli tem sempre conversado comigo, me passa tranquilidade, conselhos e poder ter figuras dessas no elenco é muito importante. Estou sempre procurando me aproximar deles para ir pegando uns macetes de como lidar, porque é a primeira vez que estou chegando em um clube da expressão do Botafogo.

Pré-temporada

— Tem sido muito bom, a gente está podendo aproveitar a estrutura do hotel e tem tudo aqui. Podemos treinar forte, descansar bem. Vamos ter mais uma semana para aproveitar isso e estrear no dia 26.

É mais fácil fazer gol do que dar entrevista?

— É.

Como vão assistir o jogo de hoje?

— A gente vai estar vendo com certeza. Acho que até vai ter um telão no refeitório. Quero ver para conhecer, me adaptar ao tipo de adversário que vai ter no Campeonato Carioca e torcer pelos meninos, né? Muito importante a gente conseguir o resultado hoje.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.