Coluna do Editor | Lecaros: o craque que ninguém viu no Botafogo

Loja Casual FC
Lecaros Botafogo
Foto: Vítor Silva / Botafogo

Revelado pelo São Paulo, o meia Jeferson Paulista chegou aos juniores do Botafogo em 2011 sob grande expectativa. Isso porque, no ano anterior, havia sido um dos destaques do Tricolor na conquista da Copa São Paulo. Na competição, o meia terminou como artilheiro do clube, com três gols — um à frente de Lucas, com passagens pela Seleção Brasileira, PSG e hoje no Tottenham.

Apesar do chegada bem referendada ao Rio, o meia não encontrou vida fácil no Botafogo. Participou de três temporadas no Clube — de 2011 a 2015. Na ocasião, foi comandado por seis treinadores: Caio Júnior, Oswaldo de Oliveira, Eduardo Húngaro, Vagner Mancini, René Simões e Ricardo Gomes. No entanto, deixou o Alvinegro com apenas 10 jogos e nenhum gol marcado — média de três partidas por ano —, de acordo com o site “oGol“.

Fora de campo, no entanto, a torcida do Botafogo especulava sobre o motivo da não utilização de Jeferson Paulista no time, apesar das seis filosofias distintas no comando técnico do Clube no período. As hipóteses davam asas à fértil imaginação, com direito a teorias conspiratórias.

Depois de deixar o Botafogo, Jeferson Paulista passou por ABC, Rio Branco/SP, Itaboraí, Gama/DF, Rio Preto/SP, Juventus Jaraguá, Nova Iguaçu, Costa Rica EC/MS e Atlético Três Corações, da 2ª divisão de Minas Gerais.

O caso Lecaros

Sete anos depois, o Botafogo acertou com Alexander Lecaros. Revelado pelo Real Garcilaso, do Peru, chegou ao Rio com status de promessa, assim como Jeferson Paulista. Também como o meia, o atacante peruano passou por seis técnicos no período: Alberto Valentim, Paulo Autuori, Bruno Lazaroni, Ramón Díaz, Eduardo Barroca e Marcelo Chamusca. Emprestado ao Avaí, encerrou a passagem pelo Alvinegro com 14 jogos e nenhum gol, de acordo com o site “oGol“. O mesmo número de jogos de Davi Araújo e quatro partidas a mais que Cesinha, por exemplo.

Apesar das evidências, a torcida do Botafogo voltou a alimentar teorias da conspiração para justificar a ausência de Lecaros no time profissional. No mundo real, o peruano deixou o Alvinegro para defender o Sub-23 do Avaí, isto é, um degrau abaixo do que estava no Botafogo.

Além disso, aliás, em Florianópolis, Lecaros terá apenas três meses para demonstrar a habilidade nunca antes vista. Do contrário, volta ao Botafogo, com o qual tem contrato até dezembro de 2021. A conferir.

Siga-nos no Twitter | Siga-nos no Instagram | Siga-nos no Facebook

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.