De La Penã lembra jantar em que Seedorf sugeriu mudar hino do Botafogo

Loja Casual FC
Clarence Seedorf Botafogo hino
Foto: Vítor Silva / Botafogo

Em live da Rádio Botafogo nesta sexta, 12, o humorista Hélio de La Peña lembrou um jantar que participou na casa de João Moreira Salles no qual estava Clarence Seedorf, então atleta do Botafogo.

— O João convidou cinco casais para jantar na casa dele com a presença do casal Seedorf e sua senhora. Nós fomos ao jantar na rua Delfim Moreira. Trata-se de um museu do Botafogo. Ele não tem quadro de (Pablo) Picasso, (José) Pancetti ou Tarsila do Amaral. Só tem camisa do Botafogo, do Jairzinho. O quadro principal na sala dele é o cobertor do Nilton Santos de 1962 – descreveu.

Na ocasião, De La Peña revelou que Seedorf sugeriu, inclusive, mudar o hino do Botafogo.

— Ele falou pra mim: “o hino de vocês, por exemplo, tem a frase que diz que não pode perder. Tem a palavra perder duas vezes. E segundo: o empate é um bom resultado? Não, isso não pode estar no hino” – disse.

De La Peña garante que discordou do craque holandês.

— Eu disse pra ele: aí não! Tudo certo sua opinião, mas não vamos mudar o hino não, Seedorf – garante.

Clarence Seedorf Botafogo hino
Seedorf sugeriu alterar o hino do Botafogo em jantar. Foto: Vítor Silva / Botafogo

Palpites sobre alimentação

Não satisfeito, o craque cinco vezes campeão da Liga dos Campeões também disparou contra a rotina do futebol brasileiro.

— No jantar, o Seedorf começou a criticar os hábitos do futebol brasileiro. Algo que irritava muito ele era a alimentação da concentração. Segundo ele, era pizza, bolo, salgadinho. Ele dizia que não é alimento de atleta, mas de torcedor.

Conheça a melhor linha retrô do Botafogo e ganhe 10% OFF com cupom FOGONAREDE

Para Seedorf, que passou duas temporadas no Botafogo, a homenagem a ídolos do Clube deve estar resguardada em um local específico.

— O Seedorf também reclamou do caminho do vestiário até o campo nos estádios. Para ele, era humilhante para os atletas ver heróis do passado. Ele acreditava que deveria, sim, ter uma sala que o Clube reverenciasse o passado. Mas o caminho para o campo devia ser de atletas atuais, para que eles chegassem com auto estima.

Leia mais: TV exibe último jogo de Garrincha, ídolo do Botafogo, domingo

Sedoorf defendeu o Botafogo por duas temporadas. Foram 81 jogos e 24 gols. Além disso, o holandês conquistou o Campeonato Carioca de 2013 e contribuiu para a classificação do Clube à Libertadores do ano seguinte.

Veja o trecho da entrevista:

Siga-nos no Twitter | Siga-nos no Instagram | Siga-nos no Facebook

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1542 Artigos
Botafoguense, 34anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*