Honda é apresentado no Botafogo: ‘Nunca senti energia igual na carreira’

Loja Casual FC
Honda Botafogo
Apresentacao de Honda do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 08 de Fevereiro de 2020, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Honda Botafogo
Honda foi apresentado o Botafogo neste sábado, 8, no Nilton Santos. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

Keisuke Honda foi apresentado ao Botafogo neste sábado, 8, no Nilton Santos.
Durante a coletiva, o astro japonês admitiu que escolher pelo Alvinegro não foi tarefa fácil, mas um fator foi determinante para a escolha: a torcida.

— Tive algumas ofertas da Ásia e Botafogo. Mas, honestamente, não foi fácil decidir. Me questionei o que seria bom para mim e minha família. Primeiro, por que eu decidi vir: as pessoas aqui estavam esperando por mim. Fizeram contato comigo pelas redes sociais — lembrou.

Veja mais declarações de Honda

Recepção no aeroporto

— Fiquei muito impressionado no aeroporto. Nunca recebi isso a minha vida inteira.

Dificuldades da língua

— Não sei português. Só sei ‘obrigado, muito prazer e Botafogo’. Eu sabia algumas palavras, mas tenho que recomeçar. Eu tweetei português do pouco que eu sei.

Cláusulas no contrato

— A opção (de sair depois dos jogos Olímpicos) no contrato foi opcional. Eu tenho certeza que permanecerei aqui tanto quanto possível. É a razão de eu estar aqui. Na minha cabeça agora, eu quero fazer as pessoas que foram no aeroporto felizes.

Ligação Brasil e Japão

— Japão e Brasil sempre tiveram ligação forte. No futebol, porém, a diferença é muito grande. Por isso um japonês no futebol brasileiro é um desafio muito grande. Muitos brasileiros foram para o Japão e estão jogando. E isso é muito bom para nós.

Energia da torcida

— Ontem realmente fui pego de surpresa no aeroporto. Nunca senti aquela energia na minha carreira. Quando fui para o Milan, também teve torcida. Senti pressão, mas ontem foi maior. Quando fui para o México, não senti tanta pressão. A pressão é grande, mas é boa. Eu gosto.

Presença no clássico Vovô


— Quero ir muito, mas preciso me adaptar. Primeiro vou com calma para me estabelecer no Brasil, mas vou ver se tenho brecha para ir ao Maracanã.

Desafios no Botafogo

Botafogo é um grande desafio. Não é fácil, mas eu tenho que fazer isso. Porque muita gente espera de mim isso.

Jogos Olímpicos

— Tenho que pensar em jogar meu jogo. Quero ser amigo dos jogadores do Botafogo. Quero mostrar minha qualidade ao técnico. Depois pode surgir o caminho para Olimpíadas. O primeiro projeto é jogar aqui.

Expectativa para estreia


— Estava treinando todos os dias. Mas treinei sozinho. Leva um pouco mais de tempo para me preparar. Mas quando começar a treinar com o time posso sentir quando posso estrear. Na minha opinião, talvez 2, 3 semanas.

Melhor posição em campo

— No Botafogo, posso ser armador. Porque atacante tem muitos aqui. Bons e jovens. Quero utilizar a qualidade dos atacantes jovens. Quero aproveitar minha qualidade como armador.

Conversa com Seedorf

— Não conversei com ele. Eu tentei, mas é difícil falar com ele. Ainda vou tentar falar com ele. Ele não me procura. Então eu vou procurar. Mas no Milan nosso relacionamento foi ótimo.

Rivalidade com Flamengo

— Agradeço ao Zico por tudo que fez por nós japoneses. Não quero que ele fique decepcionado. É uma motivação para mim. Na Europa, também havia rivalidade. Por isso, quero jogar bem contra o Flamengo. Quero dar alegria para os botafoguenses.

Momento do Botafogo

— Se Botafogo não estava bem, é ótima oportunidade para mim e para o Clube, porque podemos subir todos juntos. Quero contribuir com a minha experiência. Claro que não tenho experiência como Seedorf, mas posso crescer com todos juntos.

História do Botafogo

— Estou estudando sobre história do Botafogo. Sobre camisa 4, eu gosto. Na seleção por muito tempo usei. Gosto. Tenho carinho pela 4.

PUBLICIDADE

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.