Lazaroni cita ansiedade para justificar derrota do Botafogo para Madureira

Loja Casual FC
botafogo madureira
Foto: Fábio de Paula / Botafogo
botafogo madureira
Bochecha foi peça nula na derrota do Botafogo para Madureira. Foto: Fábio de Paula / Botafogo

O time reserva do Botafogo foi derrotado novamente no Estadual, desta vez pelo Madureira, por 2 a 0, em Conselheiro Galvão. Os gols foram marcados por Emerson Carioca e Ygor Catatau. Para o técnico Bruno Lazaroni, a ansiedade foi determinante no resultado da partida.

— A vitória do Madureira foi justa, mas foi oriunda de duas bolas paradas. Mas eles produziram em contra-ataques e poderiam até ter feito um placar maior.

Veja mais declarações de Lazaroni:

Resultado

— A vitória do Madureira foi justa, mas foi oriunda de duas bolas paradas. Mas eles produziram em contra-ataques e poderiam até ter feito um placar maior.

Análise individual

— Após as partidas, não gosto de analisar individualmente. Coletivamente fomos mal e a vitória do Madureira foi justa. O Valentim vai fazer as avaliações dele. Vamos conversar com a comissão para decidir quais atletas serão aproveitados ou não.

Duas derrotas preocupam?

— Num time grande como o Botafogo, sim. É uma equipe muito jovem. No início criaram um nível de ansiedade tão grande que deixaram de fazer o que eles costumam fazer.

Pontos perdidos

— Numa competição tão curta, pode ser que não consigamos recuperar. Tomara que a gente recupere.

Luiz Otávio de 10

— Na verdade não foi opção. Só tínhamos jogadores que jogam por trás. Foi falta de opção. Não tinha nenhum meia de origem no grupo que veio para cá.

Pressão sobre jovens

— Viver situações como essa não é bom, mas eles podem tirar lições e aprender para evoluir. Se tratando de jovens, o ideal é que entrem aos poucos, num time já formado. Em situações como essas, acaba sendo mais difícil para eles

PUBLICIDADE

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.