Lazaroni cobra Botafogo após derrota para Volta Redonda: ‘Tem que fazer mais’

Loja Casual FC
Lazaroni Botafogo Volta Redonda
Lazaroni. Botafogo x Goias no Estadio Nilton Santos. 09 de Outubro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Lazaroni Botafogo Volta Redonda
Lazaroni comandou a equipe do Botafogo que perdeu para o Volta Redonda. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

Sob o comando de Lazaroni, o Botafogo estreou com derrota no Campeonato Carioca: 1 a 0 para o Volta Redonda. O gol foi marcado por Saulo, aos 24 minutos do segundo tempo. A equipe da casa poderia ter feito um placar mais elástico. Bernardo teve um gol anulado por impedimento.

Após a partida, Bruno Lazaroni cobrou performance da equipe.

— Eu acho que foi um jogo equilibrado, que a gente soube se defender, mas nossa produção ofensiva poderia ter sido um pouquinho melhor. Cometemos alguns erros no lance do gol, mas foi muito mérito também do Marcelo (autor do gol). A gente pode fazer mais, tem que fazer mais. É o primeiro jogo, a gente não queria ter iniciado assim. A gente vai tentar, no pouco que tem até o jogo do Madureira, reunir forças para gente fazer um bom jogo e sair com a vitória, que é o mais importante pensando no Botafogo.

PUBLICIDADE

Cavalieri

— O Cavalieri não é de falar muito, mas as ações dele falam por si só. A maneira como ele treina, a conduta profissional dele, acaba sendo um exemplo para os outros. Ele não precisa nem falar para dizer que está presente, que está junto com os atletas e passar uma boa impressão para eles. Então acaba sendo uma referência para os demais.

Pouca mobilidade

— Até 20, 25 minutos, a gente conseguiu ficar com a bola no pé e a gente estava com o controle do jogo. A partir do momento que a gente começou a lançar muito a bola sem necessidade, sem o jogador estar pressionado, o jogo ficou mais confortável para o Volta Redonda. A responsabilidade dele (Tanque) não é puxar contra-ataque, ele é um centroavante mais de área e precisa de uma produção ofensiva para poder render mais. Precisa de mais cruzamentos, mais infiltrações para poder aparecer. O que ele pode fazer é estar presente dentro da área e tentar a finalização.

Responsabilidade

— Não gosto de responsabilizar um atleta. Quando você tem um jogo coletivo forte, acaba potencializando o individual. Se a gente for analisar, a gente não conseguiu a vitória. Então todo mundo, inclusive eu, tem que ter alguma coisa a mais para dar para gente melhorar.

Luiz Otávio

— Particularmente não gosto de falar individualmente após um jogo. Teria que ver melhor, assistir ao vídeo da partida, mas dentro do que era possível, ele teve uma atuação de regular para boa. Aguentou o jogo todo. É um jogador proveniente da Série B, que terminou um pouco antes, que teve um período maior de férias. Eu estou satisfeito com a entrega de todos, mas não estou satisfeito com o resultado.

Mudanças para a partida contra o Madureira

— Não gosto de analisar um setor específico. A produção coletiva funciona desde os zagueiros, passando pelo meio-campo, chegando até o ataque. Mesma coisa na pressão: você precisa dos atacantes pressionando, o meio-campo pressionando, para chegar menos bola na defesa. Então a gente tem que melhorar como um todo, coletivamente para potencializar o individual.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.