Sem Carli e Gilson, Barroca confirma Botafogo contra Ceará

Loja Casual FC
barroca botafogo ceará
Barroca.Treino do Botafogo no Estadio Nilton Santos. 12 de Setembro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
barroca botafogo ceará
Foto: Vitor Silva/Botafogo

Sem Carli e Gilson, o técnico Eduardo Barroca confirmou o Botafogo para enfrentar o Ceará, neste sábado, às 21h, no Castelão. Marcelo e Lucas Barros substituem a dupla titular, fora por desconforto muscular.

Antes da atividade desta sexta, o treinador falou com jornalistas fora da sala de imprensa.

Confira a íntegra da coletiva:

Time contra o Ceará

— Estamos com alguns problemas. Tivemos a volta do Gatito, mas o Gilson não vai par ao jogo. Teve um desconforto e não queremos correr risco. Entre o Lucas Barros. Carli teve desconforto na panturrilha e o Marcelo segue no time. O resto da equipe é a mesma que enfrentou o Atlético-MG.

O Botafogo que enfrenta Ceará: Gatito, Fernando, Marcelo, Gabriel e Lucas Barros; Cícero, João Paulo e Alex Santana; Marcinho, Luiz Fernando e Diego Souza.

Desempenho da equipe

— Eu não tenho uma referência anterior porque é meu primeiro trabalho. Não ter uma referência para tirar do próprio trabalho é difícil. Meu objetivo continua sendo, até o final desse primeiro turno, ter o melhor resultado possível e de uma forma que nos dê orgulho de representar um clube do tamanho do Botafogo. Acho que estamos cumprindo isso muito bem. Independente da pontuação, o Botafogo fez jogos bons contra equipes fortes, foi competitivo o tempo todo. A gente sempre foi muito linear nas mudanças, mesmo com muitos problemas nas finalizações e nos números de gols. Sabemos o que a gente precisa crescer para chegar ao que a gente almeja. Estou satisfeito com a forma, mas não com o resultado e a pontuação. Sempre acho que podemos ir mais longe.

Possibilidade de Libertadores

— É possível. A gente vai disputar uma quantidade grande de jogos, são 60 pontos. É claro que é possível. Nosso maior desafio é com a gente mesmo. Precisamos manter um nível alto de jogo, a gente precisa manter essa dedicação e o comprometimento dos jogadores. A forma como eles trabalham nos momentos adversos. Ficamos um período sem ganhar e eles continuam com um comportamento muito bom, buscando melhorar. Isso é um indicativo que temos condições de ir longe.

Ceará

A equipe do Ceará é muito bem organizada. O Enderson tem um trabalho muito bom. Vai ser um jogo difícil, fora de casa, sabemos que a torcida deles vai lá comparecer. Mas acho que a gente não pode mudar aquilo que vem construindo. O Botafogo tem uma característica de jogo, uma equipe base que joga desde que estou aqui. Precisamos fazer um jogo de imposição em cima de uma grande equipe. Precisamos sobrepor as nossas características sobre as deles para vencer lá.

Manutenção do foco nos atletas

— Eu nem estou precisando ter esse trabalho. Está partindo deles. Os jogadores me procuraram e pediram para eu ser o elemento a cobrar deles a excelência profissional. Eles têm uma consciência grande que precisam do lado desportivo para conquistar as outras coisas que estamos em dificuldade. Para mim foi simples trabalhar com o comprometimento deles. O mérito é dos jogadores nesse sentido. O foco é o lado desportivo.

Dobradinha Fernando x Marcinho

— Eu gostei. O Fernando é um jogador que tem um aproveitamento muito bom quando está em campo. Ele dá estabilidade à nossa linha de quatro, ele tem boa estatura e agressividade em bola aérea defensiva. É um jogador que não passa com tanta frequência, mas sempre ajuda no lado do campo. O Marcinho tem capacidade de fazer mais de uma função. Ficamos com um lado direto consistente, apesar do jogo ficar mais de cruzamento e menos de articulação com perna oposta para jogar por dentro. Eu gostei da interação dos dois e espero que eles possam crescer.

Clima com o elenco

— A gente vem trabalhando muito com a palavra mobilização. Acho que os jogadores têm dado uma resposta muito boa nesse sentido. Existem indicativos que nos mostram isto. Os jogadores se envolvem diretamente com os funcionários, a gente tem se cuidado muito do nosso trabalho. Mesmo no período que oscilamos em resultados, os jogadores cuidaram inclusive de mim. Quantas vezes me protegeram e defenderam meu trabalho? Tem sido uma característica do nosso trabalho. A gente se protege e cuida do nosso trabalho. Nos cuidamos e nos defendemos. Esse é o ponto-chave.

Relação com a direção do Clube

— Até para manter o lado desportivo 100%, o Anderson (Barros) é o elemento a qual me reporto para falar sobre coisas específicas relacionadas a isso. Se não a gente acaba se embaralhando e perdendo o foco no que realmente é importante. Apesar de ter uma relação boa com o presidente e o Gustavo, eu procuro me reportar apenas ao Anderson e ele fala com a direção sobre esse assunto.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.