Vice financeiro do Botafogo sugere escala de rodízio para funcionários

Loja Casual FC
novis financeiro botafogo

Nesta quarta (4), a Super Rádio Brasil conversou com o vice-presidente de finanças do Botafogo, Luiz Felipe Novis. Na entrevista, o dirigente falou sobre o grave momento financeiro do Clube e sugeriu alternativas para solucionar os problemas.

Confira a entrevista exclusiva a Luan Faro, repórter da Super Rádio Brasil:

Situação do Botafogo
— Nossa situação é grave. A diretoria está procurando alternativas para resolver, principalmente a questão salarial de jogadores e funcionários. Isso é o mais prioritário no momento. O clube não pode deixar perdurar essa situação crítica que estamos vivendo. Mas infelizmente este ano é difícil, houve uma quebra das nossas receitas, principalmente da TV, e isso provocou um desequilíbrio muito grande no nosso fluxo. Nós estamos tentando soluções. Espero que a gente consiga, o mais breve possível, minorar o sofrimento dos nossos funcionários, a quem pedimos um pouco mais de paciência e compreensão. Estamos focados 100% neste problema que atinge a todos.

Previsão de pagamentos
— É difícil, porque as alternativas não são muitas e não são firmes. Seria muita irresponsabilidade dar uma expectativa agora, uma data, e não poder cumpri-la. Eu prefiro aguardar mais um pouco, mas existem algumas possibilidades. Nós estamos perseguindo. Pode ficar certo que a prioridade será o pagamento de nossos funcionários.

Falta de funcionários ao trabalho
— É uma questão que a gente não pode exigir do funcionário, já que não estamos fazendo a nossa parte. Em relação a vale transporte, ontem (terça) conseguimos uma reserva e fizemos depósito de vale alimentação e vale transporte. Neste ponto os funcionários estão todos abastecidos pelo menos por uma semana ou mais talvez. Sempre que há alguma sobra, fazemos o depósito. Mas realmente é muito difícil exigir do funcionário uma assiduidade nesta situação. Talvez seja o caso do nosso administrativo pensar em alternativas de rodízio, se a coisa ainda perdurar por mais tempo. Mas temos que procurar soluções. O Botafogo não pode ficar parado. Acredito que vamos passar por isso. Já passamos por situações piores no passado e, enfim, conseguimos vencê-la. Tenho muita esperança que vamos conseguir novamente.

Projeção de melhoria
— A tendência é melhorar um pouco, porque pelo fluxo das receitas da TV é possível que a gente passe a ter recebimentos que vão nos ajudar nesta reta final do ano, mas realmente a situação é bem complicada. A gente espera sempre que vá melhorar. Contamos com algumas receitas novas da TV até o final do ano.

Receita com venda de jogadores
— Fora a questão do Jonathan, nós tínhamos expectativa de ter mais receita, mas infelizmente não ocorreu. A janela do Kuwait senão me engano vai até 30 de setembro, então há uma pequena esperança de algum clube lá de fora se interessar, mas a solução primeira são essas receitas extraordinárias de vendas de jogadores. Continuamos na expectativa deste caminho também poder nos ajudar.

Tributos
— Alguns tributos estão em dia. Outros estamos fazendo parcelamento. Esta é uma situação também que merece toda nossa atenção, porque não podemos ficar inadimplentes. É a nossa segunda prioridade, abaixo do pagamento de salários, é honrar compromissos com a Receita. Tem vários parcelamentos e estamos honrando.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.