Barroca lamenta empate, mas fala em campanha digna do Botafogo

Loja Casual FC
Botafogo Barroca Chapecoense
Barroca. Botafogo x Chapecoense pelo Campeonato Brasileiro no Estadio Nilton Santos. 26 de Agosto de 2018, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo.rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. r

Em jogo monótono, Botafogo e Chapecoense empataram em 0 a 0 no Nilton Santos. Com o empate, o Alvinegro perdeu a oportunidade de se aproximar do G6 do Brasileiro. Após a partida, o técnico Eduardo Barroca admitiu que queria os três pontos contra a Chape, e projetou a campanha do Botafogo na competição.

ANÁLISE DO JOGO
A gente enfrentou uma equipe que jogou com 2 linhas de 4 bem compactadas. Que não abriu as costas em nenhum momento. Quando você enfrenta equipes assim, você precisa dar soluções próximas ao gol com menos espaço, pressionado. Entendo que mesmo diante dessas dificuldades o Botafogo criou boas chances de gol. No primeiro tempo menos. Tivemos dificuldades de ordem para atacar a última linha deles com maior clareza. No segundo tempo melhoramos um pouco. Mas foi insuficiente para ganhar um jogo que contávamos que deveríamos ganhar. Não foi um resultado agradável. Cabe a gente tentando nos desenvolver porque ainda faltam 3 jogos para esse fim de segundo ciclo. Estamos fazendo um campeonato digno. Não foi o resultado que a gente gostaria. Precisamos virar a chave para enfrentar o Internacional fora de casa.

PONTOS PERDIDOS PARA CHAPE
Nas nossas contas, respeitando a Chapecoense, nos últimos 4 jogos a Chape só havia perdido um jogo. Eles tiveram uma melhora muito grande, mas a gente projetava os três pontos hoje para colar no G6. Nós temos dois jogos de 6 pontos – Internacional e Atlético-MG, são equipes que estão muito próximas de nós.

PRÓXIMAS PARTIDAS
Ainda faltam 3 jogos para esse ciclo. A partir de agora meu foco é apenas o Internacional. Recuperar os jogadores, observar o jogo de hoje. Ajustar o que não foi bom. Trabalhar em cima do Inter que já está monitorada pela nossa equipe de trabalho. Precisamos atingir a meta jogo a jogo.

CAMPANHA BOTAFOGO PÓS-COPA AMÉRICA
A gente não perdeu só o Erik. Perdemos Kieza, Ferrareis, Biro Biro. Diante do cenário a gente precisa ser muito realista. Estamos tentando encontrar as soluções dentro de casa. Estou falando de diversos jogadores que perdemos e estamos com dificuldade de repor. Não cabe aqui nenhuma reclamação. O clube passa por dificuldade. Estamos tentando esticar a corda da melhor forma. Todo corpo funcional do Botafogo está trabalhando no seu limite. Somos uma das equipes que menos têm machucados na competição. O Botafogo sem dúvida alguma é uma das duas ou três equipes mais disciplinadas da competição. Está todo mundo ciente da nossa realidade. Temos nossas dificuldades e estamos tentando encontrar soluções internas. A gente ainda tem totais condições de igualar a pontuação do primeiro ciclo – que foram 15 pontos.

POSIÇÃO IDEAL DO BOCHECHA
De origem, ele sempre jogou de primeiro volante. Dependendo da partida, ele pode fazer um segundo jogador, porque ele tem qualidade para jogar pressionado. Hoje não tínhamos Cícero, então naturalmente o Gustavo foi a opção. Fez uma boa partida. Vamos fazer uma avaliação geral para começar a pensar a partida contra o Inter.

DIEGO SOUZA
Sobre o Diego, eu já falei aqui anteriormente, ele é importante para nós, tem história na competição, é um jogador que dá peso à nossa equipe, pode fazer mais de uma função. Tem experiência. Hoje teve boas oportunidades, a bola que ele finalizou até com muita dificuldade. Jogador importante no nosso grupo. Foi decisivo em diversas partidas – contra o Vasco, Athletico-PR, Fortaleza, CSA. Hoje nossa equipe criou diversas oportunidades, mas a bola não entrou. Precisamos ter convicção no que estamos fazendo cientes de que não estamos satisfeitos com o resultado.

CARACTERÍSTICA DO BOTAFOGO
A gente vem jogando a competição com Cícero, Alex e João Paulo. Jogadores que têm características de cadenciar o jogo. A gente tem tentado dar oportunidade a todos os jogadores no elenco em busca da melhor formação e dos nossos objetivos.

LENTIDÃO NA TRANSIÇÃO
Faltou trocar passe mais rápido no 1º tempo. Não tem a ver com característica de ser rápido. Eu pedi para João e Alex não virem buscar bola no pé dos zagueiros para ficarem mais próximos à linha de frente. Tivemos sim dificuldade de fazer a transição mais rápida. A gente demorou a se ajustar nesse sentido. Na metade do primeiro tempo final a gente melhorou e no segundo tempo também.

METAS DO BOTAFOGO
No segundo ciclo, a nossa meta excelente seria igualar os 15 pontos do primeiro ciclo, seria chegar aos 30 pontos. Nível de excelência máxima. Faltariam sete pontos para atingi-la. Junto disso, trabalhamos a meta de proximidade da Libertadores. Distanciamento da zona de Sul-Americana e rebaixamento. De pontos e quantidade de clubes entre onde estamos e a equipe da zona.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.