Barroca dedica vitória sobre Atlético-MG a funcionários do Botafogo

Loja Casual FC
Barroca Botafogo Atlético
Barroca. Botafogo x Atletico MG pelo Campeonato Brasileiro no Estadio Nilton Santos. 08 de Setembro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo.rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. r

Com gols de Diego Souza e Alex Santana, o Botafogo venceu o Atlético-MG por 2 a 1, no Estádio Nilton Santos. Com o resultado, o Alvinegro chega aos 26 pontos pontos e se mantém na 10ª posição. Barroca exaltou a atuação e dedicou a vitória sobre o Atlético-MG aos funcionários do Botafogo.

Confira a íntegra da coletiva de Barroca:

A partida
— Jogo difícil. Primeiro tempo a gente mais uma vez controlou mais por trás, mas com muita dificuldade de pentração. Time do Atlético-MG jogando muito bem organizado, com as linhas próximas e a gente em alguns momentos tomando algumas decisões erradas, principalmente passando pelo meio-campo. O gol foi importante para gente. Todos os jogos que a gente colocou vantagem para o intervalo, nós vencemos. Ainda mais com jogadores a mais. Segundo tempo, com mais espaço, a gente conseguiu ser mais vertical e fazer o segundo gol. Hoje para gente era muito importante o resultado. A gente vinha de uma sequência sem vencer. Por tudo que a gente está passando, saio bastante satisfeito com a vitória de hoje.

Situação do Botafogo
— A gente tem se agarrado 100% na preservação do lado desportivo. Mais uma vez eles conversaram comigo e pediram que eu fosse o elemento, junto com o Anderson (Barros, diretor de futebol), que mantivesse a ordem e o lado desportivo na sua plenitude. E é isso que eu tenho feito com eles. Eu não posso deixar de exaltar a atitude dos jogadores mais uma vez, o profissionalismo. Encontrei aqui no Botafogo um grupo de jogadores comprometidos para debater essas questões. Essa vitória para mim tem uma importância a mais pelos funcionários. Essa semana, na quinta-feira tava chovendo muito no treino e o Átila, que é um dos nossos massagistas, um senhor com idade para ser meu pai, ele estava ali servindo água, estava ali atento. Esses são indicativos que a gente tem condição de ir muito longe na competição, mesmo com as dificuldades. Sempre falei que a gente precisa do triângulo central: direção, comissão e jogadores. A gente tem o Anderson que é uma pessoa bastante importante nesse processo representando a direção, a comissão técnica se dedicando ao máximo e o principal, que são os jogadores fazendo seu trabalho junto com o torcedor que mais uma vez deu prova de que está ao nosso lado. O torcedor veio, apoiou o tempo todo. Então a gente sai muito satisfeito com o que aconteceu hoje aqui. A gente vê um Botafogo com a possibilidade de seguir um caminho bom no Brasileiro.

União entre técnico e jogadores no momento delicado do Clube
— Com certeza, estou 100% junto com os jogadores. A decisão de sair da sala de imprensa foi do departamento e futebol, que eu acatei. O Anderson é o principal responsável pelo departamento e todos nós estamos juntos nesse cenário que a gente está passando. Eu preciso estar aqui diante de vocês e do torcedor para preservar o lado desportivo que é a minha função, fazer com que o Botafogo saia desse cenário administrativo financeiro através de boas partidas, vitórias, conquistas. Hoje a gente conseguiu fazer isso da melhor forma.

Formação da equipe com Fernando e Marcinho
— Gostei. A gente ganha algumas alternativas com os dois. O Fernando é um jogador que os números dele, quando ele joga, a nossa equipe tem um percentual de aproveitamento muito alto, Fernando é um jogador que mantém uma consistência de linha de 4. Ele é importante na bola parada defensiva. Hoje precisei tirá-lo porque ele tinha um cartão e o Atlético-MG jogava com muita ligação direta em cima dele. Saí satisfeito com a dobradinha.

Mudanças na equipe
— O ideal é que você consiga manter o maior número de jogos possíveis os mesmos jogadores. Porque a sincronia coletiva ela vai aumentando de acordo com os jogos e os problemas que os jogos oferecem para a equipe. Hoje, a gente sofreu no segundo final. Não deveria ter sofrido porque tínhamos um jogador a mais. Mas em determinado momento do jogo a gente optou em não arriscar mais em sair jogando mesmo pressionado, o que é uma característica principalmente do Gabriel, a saída de bola, jogar pressionado e acabou que isso fez com que a gente usasse as bolas longas, e o Réver e o Leonardo são muito bons nessas bolas de rebatidas e fez com que a gente ficasse um pouco na parte defensiva sem conseguir sair de trás. Não é uma boa característica da nossa equipe e fez com que a gente tomasse esse gol no final, mas hoje a gente só tem que celebrar essa vitória. Temos que ir para casa com muito orgulho.

Cartão bobo de Carli
— Era muito importante a gente não desequilibrar numericamente, porque a gente estava com vantagem e um jogador a mais. Então, a gente conversou sim no intervalo para que não desse chance para isso e nem para bola parada. O Atlético tem uma bola parada muito forte. A gente conseguiu nosso objetivo de neutralizar esses pontos e a gente sai daqui mais uma vez bastante satisfeito com o resultado.

Comemoração com os atletas
— Era uma vitória muito importante para nós, para continuarmos pensando em brigar na parte de cima da tabela. Nosso objetivo é esse. Eu, desde o início, eu não seria capaz de falar para o torcedor que nosso objetivo é diferente disso. Mesmo diante das dificuldades, a gente trabalha muito sério, se dedica, tem um grupo de jogadores que têm as suas qualidades. Jogadores jovens, que querem um espaço e jogadores experientes que comandam esse trabalho. Tenho muito orgulho de trabalhar com eles. Vamos nos dedicar ao máximo para brigar o mais alto que pudermos.

Alex Santana
— Importante, com capacidade de definição, com chute fora da área, com infiltração. Tem boa estatura e hoje nos ajudou diretamente no lance do primeiro gol como fazendo o segundo gol. Foi uma arte muito especial para todos nós.

Evolução de Marcinho
— É muito simples. Quando você está feliz, com confiança, você faz tudo melhor. Ele está confiante, recebendo mais carinho do torcedor. Naturalmente, com o talento que ele tem, com a cognição que ele tem, tem condições de continuar crescendo ainda mais em qualquer posição. É muito importante para nós.

Apoio dos torcedores aos jogadores
— A torcida do Botafogo sempre esteve ao lado da gente, desde que cheguei aqui, ela sempre esteve ao nosso lado. Ela reconhece. Por isso que não posso chegar aqui e dizer que nosso objetivo é brigar lá embaixo. Jamais! Torcedor do Botafogo merece que a gente lute até o final para brigar o mais em cima que a gente puder, mesmo diante da dificuldade. O torcedor sabe qual é a dificuldade e entende. Vamos dar o nosso melhor! O torcedor, os jogadores e a direção vão ter de mim, sempre, a maior confiança que puder, o entusiasmo e capacidade de trabalhar porque eu vejo nos jogadores isso. Eles ambicionam coisas grandes na competição. Mesmo durante nosso momento de oscilação. E o Botafogo não vendeu nada barato para ninguém! E vai ser assim até o final, porque os jogadores têm esse perfil.

Transferência de mando contra o Fluminense
— Eu sempre entendo que aquilo que eu não controlo, eu não posso desenvolver uma linha de raciocínio. Não sou eu o responsável por honrar os compromissos. Então, cabe a mim, dentro das circustâncias que estão ofertadas para gente, trabalhar na nossa plenitude, cobrar o máximo dos atletas, estar ao lado deles, para que a gente consiga brigar pelo máximo que a gente puder no Brasileiro.

O próximo compromisso do Botafogo é contra o Ceará, sábado (14), às 21h, no Castelão.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.