Lazaroni nega influência de problemas extracampo em derrota do Botafogo para Palmeiras

Loja Casual FC
Botafogo Palmeiras
Lazaroni. Palmeiras x Botafogo no Estadio Pacaembu. 12 de Outubro de 2019, Sao Paulo, SP, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Botafogo Palmeiras
Lazaroni agradeceu empenho dos atletas do Botafogo contra Palmeiras. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

Com sete desfalques, o Botafogo não conseguiu segurar o atual campeão brasileiro e acabou derrotado pelo Palmeiras por 1 a 0, no Pacaembu. Diego Cavalieri foi o nome do Alvinegro na partida. Com grandes defesas, o goleiro evitou um placar ainda maior.

Após a partida, Bruno Lazaroni falou com a imprensa em coletiva. Esta foi a última partida técnico interino à frente do Botafogo. Com a contratação de Alberto Valentim, Lazaroni volta à função de auxiliar técnico do clube.

Confira a íntegra da coletiva:

Análise da partida

— Primeiro tempo foi de razoável para bom. Após o gol ficou mais para as características do Palmeiras. Só tenho a agradecer os atletas. O empenho foi muito. No segundo tempo tive que fazer duas substituições por lesões. Acabou que a gente ficou amarrado. Tive que fazer trocas mais simples. Talvez se a gente tivesse um jogo melhor tecnicamente, poderíamos ter saído daqui com a melhor sorte.

Lesões de João Paulo e Gilson

— Ainda vão ser avaliados pelo departamento médico. Mas acho que o João foi só uma tontura. O Gilson disse que torceu um pouco o joelho. É quem mais preocupa.

Alberto Valentim interferiu durante a partida?

— Ele preferiu se resguardar mais neste sentido. Minha comuniação foi mais com o Fernando e com o Alfie e os demais membros da comissão técnica.

Gol no início

— Minha estratégia era pressionar desde o início. A gente acabou tomando um gol porque começamos a descer demais a linha. O Palmeiras tem um time de qualidade, fez uma tabela de cabeça que não é comum. Felicidade deles e infelicidade nossa.

Desfalques

— Procuro valorizar bastante quem entra. Tiveram oportunidade deles, fizeram o máximo. Tenho mais a lamentar as alterações por lesões.

Troca de comando

— Infelizmente é um pouco da cultura do futebol brasileiro. É muito importante os clubes definirem um perfil do que eles querem e, dentro desta linha, dar todo suporte necessário para que o técnico possa dar sequência a um trabalho duradouro.

Problemas extracampo influenciaram no resultado?

— Não. Foi tudo resolvido. A própria atitude dos jogadores demonstrou isso. Ficou bem claro.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.