Valentim isenta Gatito em derrota do Botafogo para Internacional: ‘Erro foi antes’

Loja Casual FC
Valentim Botafogo Internacional
Valentim. Botafogo x Internacional no Estadio Nilton Santos. 30 de Novembro de 2019, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Vitor Silva/Botafogo. rImagem protegida pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998.
Valentim Botafogo Internacional
Valentim foi criticado pela torcida do Botafogo na derrota para o Internacional. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

Com um frango de Gatito, o Botafogo de Alberto Valentim perdeu por 1 a 0 para o Internacional, no Nilton Santos. O gol foi marcado por Paolo Guerrero. Com o resultado, o Alvinegro ainda segue lutando contra o rebaixamento.

Após a derrota, o treinador do Botafogo falou com a imprensa e isentou o goleiro Gatito, apesar da falha clamorosa que definiu a partida.

Eu vi um erro que não pode acontecer antes mesmo da finalização do Guerrero, antes do Gatito ter a infelicidade. É isso que vou mostrar para os jogadores e é isso que a gente tem que levar para o próximo jogo. Antes mesmo da finalização nós tínhamos que ter tido mais atenção. Vamos corrigir internamente para não acontecer novamente.

Confira mais declarações de Alberto Valentim:

Análise da partida

— A equipe procurou jogar, jogamos bem sim. tivemos chances claras de sair na frente do marcador. Depois a gente acabou tomando o gol, o que é ruim, ainda mais no final do jogo. Uma derrota a gente não queria de jeito nenhum. No segundo tempo a gente não conseguiu manter, o Inter equilibrou muito por mérito deles. É um time forte. Fica o sentimento ruim. Acho que tivemos azar ali naquela bola do Diego.

Qual é o pensamento para os dois próximos jogos?

— Antes da oração, falamos rapidamente ali para já começarmos a recuperação contra o Atlético-MG. O treino tem que ser muito bom para aqueles que não jogaram ou jogaram menos. Temos outra final na quarta-feira. Domingo e segunda nós vamos levar uma preparação, dias normais no sentido do que vai acontecer com o Cruzeiro. Claro, se o Cruzeiro for derrotado for derrotado pelo Vasco, vamos buscar a Sul-Americana.

Troca de treinadores na reta final do Brasileiro

— A gente sabe como funciona o futebol brasileiro. A troca acontece por alguns resultados. O que acontece para diretoria é o desespero pelo rebaixamento, isso é o que vai acontecer porque estamos falando de pouco tempo para trabalhar.

Substituições

Fernando eu quis botar o Marcinho. Gás novo para ganharmos ali a força que o Marcinho tem. Ele é um dos principais jogadores nossos. Depois eu tive duas alterações mais forçadas, no sentido que o Alex Santana me pede substituição e eu coloco o Leo Valencia que é mais ofensivo que ele. Depois o Cícero também cansou e eu coloquei o Jean ali. Claro que é um pouco mais defensivo que o Cícero, mas já tinha colocado o Valencia. Então, não concordo que recuei. Não tiraria o Cícero se ele não tivesse desgastado fisicamente.

Luiz Fernando

— Quando ele está bem, ele faz jogada importantes. Hoje ele fez algumas jogadas importantes. Vamos precisar bem dele para os jogos que restam no campeonato.

— Sentimento de derrota é muito ruim dentro do vestiário. Ainda mais porque tínhamos chance de concluir um objetivo que não veio. O Inter não criou chances claríssimas de gol contra o Gatito. Amanhã já começo a preparar o vídeo do que foi o jogo para nos prepararmos contra o Atlético-MG porque isso faz diferença numa final de temporada, onde o nível físico é muito exigido.

— Se o Cruzeiro perder o jogo, um objetivo já foi. Vamos continuar porque temos mais objetivos na competição.

Jogo contra o Flamengo foi um divisor de água? Jorge Jesus mexeu com a zona de conforto dos treinadores?

— Se vocês lembrarem de como gosto das minhas equipes, marca forte. Fizemos um grande jogo contra o Flamengo. Infelizmente perdemos o Luis Fernando. Nós estamos, desde aquela partida, a gente vem procurando fazer um jogo cada dia melhor.

Antes do gol do Inter, você considerou o empate um bom resultado?

— Seria bom. Teve um resultado bom para gente hoje: o Athletico empatou com o Ceará. A gente consegue manter uma distância de quatro pontos deles. Lógico, se a gente vencesse hoje, o Cruzeiro seria obrigado a vencer o Vasco para continuarmos ameaçados.

Importância do torcedor hoje

— Quando o nosso ônibus chegou, vimos que estava diferente no sentido de mais cheio. O torcedor tem nos acompanhado muito. Lógico que a gente espera que eles estejam conosco até a última partida contra o Ceará.

Mensagem para equipe de basquete

— Tive o prazer de conhecer o técnico Léo Figueiró. Parabenizei pela campanha. Falei para ele que é uma coisa bacana, foi um time muito aguerrido. Desejo toda sorte e que o torcedor botafoguense vá incentivar o time do Léo para que ele consiga essa vitória.

Comentários

Sobre Diego Mesquita 1552 Artigos
Botafoguense, 36 anos. Formado em Jornalismo pela FACHA (RJ), trabalhou como assessor de imprensa do Botafogo F.R em 2010. Hoje, é setorista independente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.